:::: MENU ::::
Browsing posts in: Sem categoria

BRICS – Não admiram o Brasil

21119_resize_620_380_true_false_null

Quem queremos, não nos quer

Os resultados dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que estarão reunidos em Fortaleza, dias 14 e 15 Julho, são o foco da política externa brasileira nos últimos anos .

Na Ásia o percentual dos dois membros dos BRICS são menores dos países da região. A população da Rússia dá os maiores sinais de aprovação ao Brasil. Não há dados disponíveis para a África do Sul.

Páis % Favoravel
Brasil
Rússia 63
Índia 24
China 43
África do Sul

Fonte: Defesanet

Minha impressão quanto a opinião dos BRICS, é que é compreensível a “rejeição” vinda da Índia, e a falta de empatia da China. Se reparar, a Russia tem uma cultura mais próxima da gente do que a Índia e China, e esses números me parecem mais uma questão cultural do que comercial como o artigo coloca.

No oriente médio por exemplo, apesar do estreitamento comercial, a empatia com o Brasil me parece muito baixa pela diferença cultural gritante, principalmente em torno da questão religiosa, já que a maior fama do Brasil são as festas, turismo sexual, etc…

Acredito que o quadro seria mais equilibrado se tivesse os dados da Africa do Sul.


“Não teve Copa” que queríamos, mas teve a Copa que merecemos!

Torcedor Copa

É muito legal ver a cidade cheia de turistas estrangeiros. Essa união de povos e línguas, a alegria deles em estar no “Pais das Festas e do Futebol”, é muito legal, mas mesmo assim não consigo me alegrar. Apesar de nunca ter gostado muito de futebol, reconheço que é o esporte mais amado no Brasil e mais popular no mundo, e mesmo assim, deixava minha rabugice de lado para torcer pelo Brasil. Juro que gostaria esta participando e me alegrando com esse evento curtindo com a família, antigos amigos e possíveis novos amigos gringos, mas não consigo. Sou um dos poucos que ainda não mudou de opinião.

Não acho que “não deve ter #Copa”, desde o início fui a favor, seria e está sendo uma grande oportunidade para o Brasil, mas tudo o que foi acontecendo durante esses últimos anos, até o momento que chegamos, não me deixa me alegrar pelo torneio em si. Não posso trocar uma alegria momentânea, pela realidade dura que enfrentamos e continuaremos a enfrentar após o evento.

Com tudo, apesar de achar que deva ter Copa SIM, deva haver sim também manifestações, críticas e outros atos, para que não nos deixem esquecer os problemas, e possamos após a copa, cobrar devidamente na urnas de eleição. Por outro lado, apesar de ser a favor também das manifestações, não sou a favor do terrorismo. Querer impedir que o evento não aconteça na força, não é uma forma democrática de reivindicar seus direitos.

Apesar de não ficarmos com o legado de infraestrutura prometido, tirando a ação de alguns oportunistas, fico contente com o legado cultural e de consciência política que estamos adquirindo com toda essa experiência.

Como o Vladimir Saflater disse em seu excelente artigo:

“No chamado “país do futebol” pela primeira vez uma Copa do Mundo não trará dividendos políticos, mas mostrará uma população consciente da tentativa de espoliar seus sonhos. População cuja revolta pode explodir a qualquer momento, da forma mais inesperada possível, mesmo que seja governada por pessoas que nada mais têm a oferecer a não ser a polícia. “

Também tenho essa impressão, e espero que ele esteja certo!

(Recomendo a leitura inteira: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/vladimirsafatle/2014/06/1467693-nao-teve-copa.shtml)

Antes que me esqueça, para os que põem na conta da Dilma todos os problemas e promessa não cumpridas, não esqueçam que os recursos e projetos podiam ser federais, mas governadores e prefeitos também são responsáveis por não entregarem ou atrasarem as obras. Afinal, hospitais por exemplo, são também responsabilidade estadual e municipal.

Só me resta torcer que nosso queridos visitantes, que não tem culpa dos nosso problemas, consigam curtir o evento e tudo de bom que podemos oferecer aqui, em especial, nosso calor humano e nossa “falta de medo de não ser feliz”. Que retornem cada um para o seu país com um pouquinho de Brasil, e transmitam a mensagem que desde sempre tivemos em nosso DNA, e que “O Que É O Que É” traduz muito bem:

“Ah meu Deus!, eu sei, eu sei que a vida devia ser bem melhor e será
Mas isso não impede que eu repita. É bonita, é bonita e é bonita”.


Evento preparatório para Hackathon do CJE/FIESP

Negócios Brasileiros de Sucesso na Internet: do desenvolvimento do software mobile à comunicação

Há algum pouco tempo comecei a participar do CJE (Comitê de Jovens Empreendedores) da FIESP, e estamos organizando uma grande Hackathon que premiará os melhores app mobile no segmento da Educação, Saúde de Segurança Pública e Social, sendo essa última obrigatoriamente desenvolvida e distribuída como Software Livre, e que será doado para a ONG Instituto Colabore. Serão formados no dia do evento equipes com Desenvolvedores, Designers, profissionais especialistas em Marketing e Business. A FIESP disponibilizará chuveiross para banho, comida, e todos os participantes ganharão barracas para dormir, descansar e levar para casa após o evento.

Na próxima terça-feira, dia 25/02/14, haverá mais um evento preparatório para a grande Hackathon do CJE. O evento é aberto, gratuíto e todos são convidados a participar. Será uma grande oportunidade para saber mais sobre a Hackathon, assistir palestas de grandes nomes do negócios de sucesso no Brasil, e realizar networking profissional no meetup após o evento.

Para saber mais e se inscrever, veja os detalhes abaixo:

Atenção Desenvolvedores, Designers e Empreendedores:
Terça-feira, dia 25/02, às 18h45 haverá um evento preparatório para o #HackthonCJE, que vai rolar em março.
 

Inscrições gratuitas pelo site: http://bit.ly/2hack-cje
Não percam! — com Andiara Petterle e outras 2 pessoas.

hackathon


Campus Party 2009 – Primeiro dia

Barraca no Campus Party 2009

Em fim chegou o dia, preparei minha mala e parti para o Centro de Exposições da Imigrantes, onde acontece a segunda edição do Campus Party Brasil. Chegar aqui não foi complicado, fui até a estação do metrô Jabaquara e lá a organização do evento disponibilizava um ônibus gratuito até o Campus Party. Cheguei aqui era cerca de 20h, apesar de os portoções terem sido apertos ao meio dia. Mas não perdi nada de mais, o primeiro dia serviu para os campuseiros registrarem seus equipamentos, montarem suas barracas e se estabelecerem no local.

A principio estava tudo meio confuso, um pouco de desencontro de informações, mas tudo correu certo e sem maiCerimônia Aberturaores problemas. O mais problemático foi montar a barraca, apesar de ser fácil, nescessita de ajuda de mais uma pessoa, e felizmente tive ajuda de alguns vizinhos de barraca.

Logo  no primeiro dia me esbarrei com conhecidos, comecei algumas amizades e já fui ligando meu equipameneto, que não passava do meu notebook e um HD externo, em uma das bancadas da área dos campuseiros. Fiquei na área que me inscrevi, a de Software Livre.

Primeiro dia ocorreu sem nenhum problema, apesar do intusiamos de estar num evento desses, nãPinguim Giganteo rolou nenhuma palestra e nem nenhuma outra atividade a não ser pela cerimonia de abertura que ocorreu por volta de umas 22:30 e que teve a presença do governador de São Paulo José Serra e do prefeito Gilberto Kassabe.

Logo após a cerimônia de abertura, começou o primeiro Sarau Digital, com a presença do grupo musical Teatro Mágico.


Campus Party 2009 – Ai vou Eu!

Estarei participando na próxima semana de um dos maiores eventos de cyber cultura do mundo, o Campus Party 2009. Um evento que reune tiversos tribos de diversas áreas como #Software Livre, #Desenvolvimento, #Blogs, #Música, #Video, #Fotografia, #Games, entre outros… Nesse evento os participantes acampam no local em barracas fornecidadas pela organização, assitem palestras, participam de diversas atividades colaborativas, socializam com outros da mesma tribos (e de outras) e de quebra tem show culturais em diversos momentos. O evento acontece durante 24 horas entre os dias 19 e 25 de janeiro. Pretendo ficar dutante toda a semana, vamos ver se consigo. Bom Campus Party para quem vai e até lá!